– Ô de casa ! Vai entrando e conheça quem faz a Casa do Brasil Valência

– Ô de casa ! Vai entrando e conheça quem faz a Casa do Brasil Valência

– Ô de casa! Vai chegando, vai entrando que a Casa do Brasil Valência é sua!

Completamos nosso segundo ano de atividades! Por enquanto, estamos no formato da canção do Toquinho, que diz: «era uma casa muito engraçada, não tinha teto, não tinha nada».

Embora não tenhamos sede, não resta dúvidas que tudo que fazemos e queremos fazer, será feito 🎶com muito esmero e muito amor 🎶. E bota amor nisso!

Querem saber mais?

Sobre a Casa do Brasil Valencia

Nossa associação conta com o registro CV- 01057165-V da Generalitat Valenciana e iniciamos o processo do Registro Municipal em Valência. Um passinho de cada vez, mas as mãos não param de trabalhar unidas a esse projeto que nos enche de alegria e satisfação.

Com o passar desses dois anos de atividades são muitos que já conheceram um pouco do nosso trabalho. Nos apresentamos anteriormente e você pode rever o post aqui!  

Entre os que estão desde o princípio, os que se mudaram para outra cidade, os que vão chegando com seus projetos e ideias de voluntariado…

A Casa do Brasil vai deixando de ser «um puxadinho» e vai crescendo!

Olha o passarinho!

Casa do Brasil Valencia voluntarios

Colaboradores voluntários da Casa do Brasil Valência – Foto: Objetivo Valencia.

 

E tem mais gente que não saiu na foto! O que não falta são propostas e contatos chegando diariamente.

Queremos ser o centro de referência cultural do Brasil na cidade de Valência e «só no sapatinho», vamos conseguindo!

Isso tudo, devido a dois fatores: o primeiro, o valor incalculável e amor que temos à nossa cultura (nossa associação não tem fins lucrativos) e o segundo, o apoio que recebemos da comunidade que se identifica conosco e nos apoia.

Juntos somos mais fortes!

Quer participar e receber nosso apoio?

Exponha seu projeto, oficina ou ideia relacionada com o nosso querido Brasil através do casadobrasilvalencia@gmail.com

Siga-nos no Instagram e fique por dentro de todos os eventos que organizamos e apoiamos através do Facebook @CasaDoBrasilValencia

Aquele abraço!

Mini Chef Niños

Mini Chef Niños

Mininiños volta com fome de festa, de reencontro e aquela alegria de poder aprontar novas coisinhas juntos. E se for, de comer, melhor! Vem aí o Mini Chef Niños!

No próximo 16 de setembro às 11h na nossa querida La Casa para Pasárselo Pipa, que sempre nos recebe com aquela pitada de doçura faz a gente se sentir em casa, e com aquela vontade de «Pasar pipa»!

Mini Chef Niños será uma oficina com duas horas de duração onde nossas crianças vão preparar um lanchinho saudável de forma divertida, falando em português e aprendendo sobre os alimentos.

A oficina será comandada pelo pedagogo e gastronomo Murilo Soares, que finalizará seu estágio conosco através do intercâmbio europeu Erasmus+, em parceria com a Universidade da Beira Interior, de Covilhã – Portugal, concluindo sua pós-graduação – mestrado em  Estudos da Cultura.

Legal né, meninada?

mininiños chef

Tem coisa melhor que fazer comidinha brincando?

Então, agora é só colocar na agenda e fazer sua reserva! Escreva para casadobrasilvalencia@gmail.com e fiquem atentos às informações no Facebook e Instagram.

O evento criado no Facebook você pode conferir clicando aqui!

As desafiadoras férias no Brasil

As desafiadoras férias no Brasil

Quando cheguei para morar na Espanha, depois de casada, conheci uma colega de trabalho brasileira que sempre falava com muita naturalidade que não ia ao Brasil há mais de 3 anos. Aquilo me provocava uma mistura de sensações que ainda hoje posso dizer que fazia sentir-me mal, muito mal…

Como alguém pode passar tanto tempo sem ver a família e sem férias no Brasil?

Muito fácil, é o que constatei depois de quase 10 anos! Tem ano que é por motivo de trabalho, outro porque falta grana mesmo e em outras, a gente meio que começa a perder a noção do tempo.

Até que enfim, minha família e eu fomos no Natal de 2017

A primeira vez que cruzei o Atlântico com meu filho Raul, ele era a bagagem de mão (colo) mais importante que eu tinha levado de cá para lá. Estava com um aninho recém cumprido e era pura festa a nossa viagem ao Brasil para que todos o conhecessem. Meu marido tinha ficado trabalhando e chegaria depois de 15 dias!

Um bebê hispano brasileiro chegando! Não andava e nem falava… E por falar em falar, esse é o motivo mais importante deste post: contar a evolução do bilinguismo e nossa experiência com o projeto Mininiños, criado pelos próprios protagonistas desta história.

Parque da Mônica

Aline Navarro e o filho Raul em visita aos familiares no Brasil. Dezembro/2017

A primeira coisa que notei, foi a solidariedade do povo brasileiro ao ajudar com as malas e tudo que fosse relacionado ao «perrengue» de uma mãe louca viajando sozinha. Ô povo solidário, nós os brasileiros! Impressionante!

Depois foi a rápida mudança de comportamento do Raul, que sabia exatamente que estava fora do ninho dele. A língua era a principal inimiga naquele momento. Por mais que o português fosse a língua da mamãe, era tudo muito estranho que aquele montão de gente viesse apertar suas bochechas falando aquela língua.

Nunca gosto de desanimar nenhuma mãe brasileira que enfrenta esta batalha, mas sou humana e solidária o suficiente para admitir que não é fácil. A minha história ainda não terminou…

Estranheza total, até que sou salva pelo Rei…

O meu «mininiño» praticamente deixou de comer! Fiquei muito mal! Juntou a estranheza com a ausência do pai e aí… Socorro!

Eu notava que era a língua que o incomodava. Ele sempre foi um menino sociável, participativo, mas naquela situação faltava não só as palavras que ainda não controlava nem mesmo em espanhol; faltava a compreensão daquele mundo que ele tinha passado a viver da noite ao dia…

Até que na TV, no especial do Roberto Carlos, surge uma interpretação de canção em castelhano. O Raul incrívelmente olhou para a televisão, olhou para mim e parece que até que enfim se sentiu «em casa». Acreditam?

Da primeira viagem sem andar nem falar, à segunda onde o português desabrochou…

Depois daquela e outras experiências, eu me empenhei em formar um grupo de encontro onde as crianças falem e brinquem em português. Sem estranhezas! Surgiu o projeto Mininiños e todos os meses nos reunimos para alguma atividade: cineminha, rolê de bike, festas, oficinas… Hoje viramos um grupinho inseparável, um little Brasil!

Foi a melhor coisa que eu poderia ter feito pelo meu filho e por toda a minha família, porque apenas uma tia fala espanhol lá no Brasil! Privar nossos filhos de receberem essa herança é algo que independente da situação ou dificuldade que tenhamos, não devemos desistir jamais!

Nesta ida ao Brasil o Raul soltou o verbo! Deixou de ser o falante passivo, que mamãe fala em português e ele responde em espanhol, para falar e tentar falar tudo para poder comunicar-se e brincar!

Antes da nossa ida, já estava amarradão na Turma da Mônica e fomos visitar o parque! Ele pirou! E a gente também, claro!

Trasmitir o significado dos personagens e suas histórias é algo tão nosso, tão brasileiro, que somente dando a oportunidade de dividir isso com nossos filhos nos fará sentir completas.

Ver os priminhos fazendo mímica para comunicar-se e no final, uma ou outra palavra de castelhano sendo aprendida pelos demais, é demais!

Férias no Brasil

Primos da família Navarro comunicando-se em português e espanhol.

Férias no Brasil

Vale mímica e fazer sons para ser entendido. O que não vale é não falar!

E para finalizar esse post, com o motivo mais importante: que os avós possam se comunicar! Possa pedir  «a bença, vô» e que os avós respondam: Deus te abençoe, meu filho!

Isso, somente uma viagem ao Brasil, pelo menos uma vez ao ano  é capaz de fazer por nós: matar a saudade da terra da gente e ajudar nossos filhos a terem contato com nossa cultura estando na Espanha ou no Brasil. Sabemos que é difícil, mas devemos priorizar!

Como experiência própria, sei que todas as atividades e amizades que criamos em Valência têm contribuído muito para a formação do Raul.

Eu quero que ele sempre diga que ele é espanhol e brasileiro. Não quero que meu filho seja o gringo da turma!

E você? O que tem feito pelo desenvolvimento do bilinguismo na sua família?

Nunca é tarde para começar, nunca é tempo demais para voltar!

Até a próxima, gigante pela própria natureza! Prometo que não vou demorar mais 3 anos!

Então é Natal! Findamos 2017 e voltamos em janeiro!

Então é Natal! Findamos 2017 e voltamos em janeiro!

Quando a gente menos imagina, «Então é Natal»! Findamos 2017 com aquela sensação de sempre: o ano passou voando!

A diferença deste, é que para nós da Casa do Brasil em Valência, muitas coisas BOAS aconteceram. É chegada a hora de desejar BOAS FESTAS para esta comunidade residente de brasileiros em Valência que nos acompanha, compartilham e curtem nossos encontros e eventos!

brasileiros em valência

Neste clima paz e amor desejamos a todos um feliz ano novo!

Então é Natal. E o que a Casa Do Brasil fez?

Tivemos muitas participações nos encontros, conhecemos centenas de pessoas e avançamos mais uma casinha no objetivo de consolidar nossa associação. Também houveram despedidas…

Neste ano de 2017 a Casa do Brasil Valência se despediu de uma integrante que não podemos terminar o ano sem mencioná-la: Luciana Monte.

Nossa pernambucana que era pau e coração para toda obra nos deixou. Sua linda família brasileira-holandesa se despediu de Valência rumo à Holanda. Ela continua sendo nossa vocal e colaboradora, mesmo distante.

Enquanto nos despedíamos, também recebíamos uma nova integrante: a cearense «da molesta» Ana Sueli. Recém chegada de São Paulo, depois de uma temporada de 3 anos transferidos por motivo de trabalho, voltaram para Valência. Ela chega, chegando… dando o grau no grupo e somando com suas iniciativas e carisma. Atualmente é a coordenadora do Café com Mulheres.

De uma boa iniciativa, surge outra…

Também em 2017 recebemos um novo colaborador para dar «aquela garibada», o sergipano Adriano dos Santos. «OI ELE» !

Através do Conselho de Cidadania do Consulado de Barcelona, a Associação Casa do Brasil recebeu seu primeiro contato. Ele foi um dos responsáveis por outra associação do mesmo formato em anos anteriores.

Eleitos pela comunidade, dois dos 4 representantes da atual formação da Casa do Brasil Valencia são voluntários no Conselho e através dele, detectamos necessidades e divulgamos iniciativas socioculturais.

Raízes, Café com Mulheres, Mininiños e vem chegando mais novidades

Iniciamos os encontros terapêuticos «Raízes» com a psicóloga voluntária Suelen Almeida. GRATIDÃO SUELEN! Em 2018 daremos continuidade, sendo realizado de forma gratuita. Nele tivemos a oportunidade de compartilhar nossas experiências apoiando cada participante na difícil tarefa de viver fora. Estreitamos laços!

O badalado «Café com Mulheres» alcançou topos de participação. Tanto que, para o próximo ano, a nossa organização cuidará minuciosamente dos detalhes de cada encontro. Continuarão sendo ambiente de alto-astral, networking e sem dúvida, uma oportunidade de encontrar aquela amiga brasileira para chamar de sua!

Então é hora de agradecer!

A todos que participaram de cada encontro, cada evento, cada iniciativa onde o bem comum da comunidade brasileira residente foi o foco e objetivo dessa associação.

Dá trabalho?

Muito!

Mas o prazer de conhecer tanta gente de bem supera cada decepção! O saldo sempre acaba sendo positivo!

Para todos, aquele abraço, Felizes festas e voltamos em 2018!

Mininiños: Doce novembro com a visita de Felicia Jennings-Winterle

Mininiños: Doce novembro com a visita de Felicia Jennings-Winterle

O projeto Mininiños de Valência recebeu a visita especial da educadora Felicia Jennings-Winterle, depois de um mês de ansiosa e feliz espera.

Incrível como nós que estamos fora do Brasil já não vemos as fronteiras como algo que possa impedir que maravilhosos encontros aconteçam. Continentes distantes acabam unidos em forma de abraço quando o propósito de fazer o BEM acontece.

Oficina Felicia Jennings-Winterle

Felícia Jennings-Winterle é a fundadora e Diretora Educacional da BEM- Brasil em Mente de Nova Iorque. Foto: Gilca Flores.

O primeiro contato da educadora com a organização do Mininiños foi uma surpresa com notícia boa. Para quem não sabe, o projeto nasceu inspirado na longa trajetória da Felícia. Inclusive, a data de início do projeto foi pensada justamente para coincidir com o Dia Internacional do Português como Língua de Herança, dia 16 de maio (saiba mais aqui).

Felicia mora nos Estados Unidos, mas durante uma temporada está viajando e realizando cursos pela Europa. Desta maneira, tivemos a sorte de receber sua visita. Seu primeiro contato foi através de uma mensagem muito simpática e direta, que dizia:

Como está a iniciativa Mininiños? Posso visitá-los?

Macaco, quer banana?

Claro que a notícia nos encheu de alegria!

Os preparativos da visita tão especial foram com tanta empolgação de ambas partes, que até nos confundimos com a data. Felicia, acostumada com a escrita inglesa onde as datas são no formato de primeiro o mês e depois o dia, era esperada no dia 11/10 quando na verdade chegaria no dia 10/11.

Por este motivo, a doce espera e cancelamento da sua participação no evento do Dia das Crianças no mês de outubro.

Contaremos um pouco do muito que significou essa vinda, onde além de visitar o projeto de PLH, a educadora conheceu também muitos participantes do projeto e da nossa comunidade brasileira, devido às atividades da Associação Casa do Brasil Valência.

Oficina Felicia Jennings-Winterle

Quais são nossas estratégias para manter o português vivo dentro de casa? Foto: Gilca Flores

Participar de uma oficina com alguém que é uma das pioneiras da difusão e divulgação do português como língua de herança, criadora de um método de alfabetização para brasileirinhos e idealizadora da primeira escola para crianças brasileiras no estado de Nova Iorque; é algo muito emocionamente para nós, que estamos «engatinhando» ainda.

Felícia é o papa do PLH. Ela riu ao escutar, mas sua trajetória profissional inspirou não não só o grupo de Valência, mas praticamente todas as iniciativas espalhadas pelo mundo. Todas elas tiveram seu apoio, ou a inspiração e direcionamento para que trilhassem seu caminho.

Sua organização cultural, Brasil em Mente (BEM) promove o ensino e a manutenção do português como língua de herança. Está focada especialmente em formar e capacitar educadores, pais e professores incentivando o bilinguismo.

«Mulheres comprometidas com a educação e que querem, por meio dela, fazer do mundo um lugar de diversidade e globalização» Felicia Jennings-Winterle

Oficina Felicia Jennings-Winterle

A constância, o repertório e a qualidade ao ensinar a língua derrubará mitos do tipo: esquecer o português. Foto:Gilca Flores.

Na oficina, troca de ideias e dicas de como melhorar a transmissão da rica herança cultural brasileira. Cada uma de nós sempre teremos uma estratégia para que o português esteja vivo todos os dias dentro da casa da gente.

Mais do que nos orientar, também escutar. Saber como cada uma de nós faz para ensinar às crianças não só a língua, mas nossa brasilidade. E daí incrementar suas pesquisas.

 

Oficina Felicia Jennings-Winterle

O bem-vindo de «La Casa para pasárselo pipa», o espaço sociocultural onde realizamos nossos encontros. Foto: Aline Navarro.

Como diz o provérbio africano: «É preciso uma aldeia inteira para educar uma criança».

Nós nos sentimos imensamente privilegiadas pela Felicia fazer parte da nossa!

O nosso muito obrigada pela visita! Temos certeza que sua semente foi lançada em terra fértil, onde o BEM mora e os laços de amor e carinho prevalecem.

Gratidão de todos que fazemos o projeto Mininiños de Valência. Volte sempre!